12 outubro 2015

Primeira professora de Altaneira completa um século de vida


Fausta Venâncio David, ou simplesmente Dona Fausta, como passou a figurar no cenário local, foi a pioneira na arte de ensinar aos que desejam aprender, comemora hoje, 12 de outubro, um século de vida.

Fausta Venâncio em registro para o ensaio fotográfico do
meio século de Altaneira idealizado por Heloisa Bitu.
Natural do vizinho município de Santana do Cariri, Dona Fausta foi a primeira professora contratada em Altaneira, tão loco fixou residência no pós emancipação política desta localidade em 1958. Saiu do tradicional ambiente de ensino-aprendizagem e chegou a montar em sua própria morada uma mini escola de apenas uma sala, tendo funcionada até os anos 90 do século passado.

Figurou no imaginário popular como aquela que acredita fielmente na disciplina e na fixação de limites para a aprendizagem, como explicou a professora e diretora da Escola de Ensino Médio Santa Tereza, Meirenildes Alencar, para o Ensaio Fotográfico: Altaneira Meio Século, idealizado por Heloisa Bitu e registrado no Blog de Altaneira, “pessoa reconhecida por todos, como uma das primeiras educadoras, explicitamente tradicional. Ela não acredita que haja aprendizagem sem disciplina ou limite”.

Dona Fausta aos 98 anos. Foto: José Evantuil.
Sem mais condições físicas de lecionar, Dona Fasta, admirada por todos aqueles que passaram por suas mãos e assemelhados, recebeu a primeira homenagem como professora em 1995, pelo médico Dr. Eluizo Tavares Magalhães em face da passagem de oito décadas de existência.

O professor José Evantuil ao visita-la em 2014 em companhia da professora e presidente do Sindicato dos Servidores Municipais de Altaneira (SINSEMA) chegou a afirmar em seu portal “Mandíbula” – “nós que somos seus admiradores, não temos como retribuir seus relevantes trabalhos prestados a nossa comunidade. Nunca casou-se, mas manteve sempre uma relação estreita de prestação de trabalho a nossa gente. Hoje temos o raro prazer de encontrá-la ainda sorrindo”.

A recém formada em Jornalismo Alana Maria em conversa descontraída com Fausta em 2013 resumiu bem a história Mulher da Palmatória como instrumento de ensino em texto publicado no Blog de Altaneira intitulado “Fausta Venâncio, a primeira professora de Altaneira”. Veja-se:

Ela teve que se mostrar forte desde seus primeiros anos de juventude. Natural de Santana do Cariri, lá logo perdeu o pai e depois a mãe. Sozinha, Fausta logo aprendeu a crueldade do mundo em que vive. Precisou encontrar uma profissão, escolheu seguir os passos da tia: professora. Aprendeu tudo o que podia com ela e um pouco mais com outros conhecidos da área, algum tempo depois já ensinava. Se perguntar com quantos anos começou a trabalhar, “Lembro não, minha filha, faz tantos anos...”, ela responde com a voz falhando pelo peso do tempo.

Passou uma temporada em Assaré e depois fixou residência em Altaneira. Numa sala de aula improvisada na sala de estar de sua casa, Fausta organizava os alunos em turmas por idade. “Ensinei pra tanto menino”, desabafa. Eram 10, 20 mil réis de pagamento por aluno. Muito pouco, Fausta concorda. Apesar de única, a economia e desigualdade do tempo não lhe permitia qualquer maior conforto que fosse.

O contexto pedagógico da época dava a Fausta poucas alternativas de ensino: ou era dura e firme, ou não havia menino em sala de aula. A palmatória era instrumento de trabalho cotidiano. “Eu usava quando eles erravam”, declara segurando a peça fria e rígida. ‘Era assim naquele tempo’, finaliza. E quando perguntada se seguia modelos de outros professores e professoras, “Eu é cá, eles é lá. Só sei de eu cá’ responde

Mãos calejadas de Fausta Venâncio. Foto: Alana Maria.
Na arte de escrever de Alana ao pontuar sobre Fasuta, ressalta “sua vida foi dedicada a educar crianças e jovens das cidades em que passou. Fausta carrega história e tradição nas costas, por isso anda tão vagarosa e curvada pela casa, pela antiga sala de aula. Cansada, mas feliz. Está estampado em seu rosto, como um estandarte à mão, a felicidade e orgulho que carrega de ter feito o que fez pela cidade”.

A administração de Altaneira, por intermédio da Secretaria de Cultura, Esporte e Turismo, está com uma exposição fotográfica no parque de eventos João de Almeida Braga durante todo o festejo da padroeira do município, Santa Tereza D’Àvila que tem encerramento no próximo dia 15 com a finalidade de homenageá-la pelo seu centenário e que retrata o histórico da eterna professora e que já foi visitado por vários profissionais da educação dentre outros. “Visitando o Stand com um pequeno histórico da primeira professora de Altaneira. Madrinha Fausta”, disse a professora Socorro Lino ao compartilhar fotos do servidor João Alves no facebook.

Confira algumas imagens da exposição montada no parque de eventos.









0 comentários:

Postar um comentário

Ao comentar, você exerce seu papel de cidadão e contribui de forma efetiva na sua autodefinição enquanto ser pensante. Agradecemos a sua participação. Forte Abraço!!!